O Círio de Nazaré

O  maior evento religioso do mundo inicia hoje.

A devoção a Nossa Senhora de Nazaré teve início em Portugal. A imagem original da Virgem teria saído da cidade de Nazaré, em Israel, no ano de 361, tendo sido esculpida por São José. Em decorrência de uma batalha, a imagem foi levada para Portugal, onde, por muito tempo, ficou escondida no Pico de São Bartolomeu. Só em 1119, a imagem foi encontrada. A notícia se espalhou e muita gente começou a venerar a Santa. Desde então, muitos milagres foram atribuídos a ela.

Em 1792, o Vaticano autorizou a realização de uma procissão em homenagem à Virgem de Nazaré, em Belém do Pará. Tradicionalmente, a imagem é levada da Catedral de Belém à Basílica Santuário.

Realizado em Belém do Pará há mais de dois séculos, o Círio de Nazaré é uma das maiores e mais belas procissões católicas do Brasil e do mundo. Reúne, anualmente, cerca de dois milhões de romeiros numa caminhada de fé pelas ruas da capital do Estado, num espetáculo grandioso em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, a mãe de Jesus.

Na procissão, a Berlinda que carrega a imagem da Virgem de Nazaré é seguida pelos romeiros em todo o percurso, os fiéis fazem manifestações de fé, enfeitam ruas e casas em homenagem à Santa. Por sua grandiosidade, o Círio de Belém foi registrado, em setembro de 2004, pelo Iphan, como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial.

História da Corda 

Durante a procissão de 1855, quando a berlinda ficou atolada por conta de uma grande chuva, a Diretoria da Festa teve a idéia de arranjar uma grande corda, emprestada às pressas de um comerciante, para que os fiéis puxassem a berlinda. A partir daí, os organizadores do Círio começaram a se prevenir, levando sempre uma corda durante a romaria. Mas só no ano de 1885, a corda foi oficializada no Círio, substituindo definitivamente os animais que puxavam a berlinda.

A corda puxada pelos promesseiros é um dos maiores ícones da grande procissão do Círio e, também, da Trasladação. Hoje, ela tem 400 metros de comprimento, duas polegadas de diâmetro e é produzida em titan torcido de sisal oleado. Enfileirados, homens e mulheres puxam a corda que faz a berlinda com a imagem da Santa se movimentar.

No Pará, foi o caboclo Plácido José de Souza quem encontrou em 1700, às margens do igarapé Murutucú uma pequena imagem da Senhora de Nazaré. Hoje no local do achado, encontra-se a Basílica Santuário.

Sobre José Medeiros

Fundador da Agencia de Fotografia - Jose Medeiros Imagem Proprietário do Banco de Imagens - Fotos da Terra

Publicado em 10 de outubro de 2012, em Curiosidades. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. José Medeiros, seus olhos capturaram o êxtase da fé. Sou devota de Maria de Nazaré, meu sonho é ver o Círio. Parabéns pelas imagens curiosas, que só você sabe fazer. Sucesso, Valéria Moreira

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: